7 de setembro de 2007

Era mais um daqueles dias cinzentos de Milão, porém sem chuva, com aquele céu enigmático que não se sabia ao certo se eram nuvens ou apenas a neblina a encobrir, talvez, o sol. Ou simplesmente a caligem saída das chaminés, dos respiradouros das caldeiras de nafta, das refinarias Coloradi, dos caminhões barulhentos, dos esgotos, dos nauseabundos montes de lixo jogados nos terrenos baldios da periferia, da traquéia dos milhões e milhões - seriam tantos? - aglomerados entre cimento, asfalto e raiva à sua volta.

Trecho do romance "Um amor", do italiano Dino Buzzati (1906-1972), em tradução de Tizziana Giorgini. O livro foi lançado pela Nova Fronteira.

2 comentários:

mississipi disse...

não é muito diferente da minha cidade

http://setembroemmontevideu.blogspot.com/

Monica Mamede disse...

Olá!

Gosto tanto dos trechos que transcreve... às vezes, a beleza literária é mais sentida em suas amarras e conseqüências do que a vida de todo dia em meio a "mesma" paisagem.

Volto

Beijo